Mestrado – Engenharia de Software

Mestrado - Engenharia de Software

Conforme comentei no artigo Mudanças – Do gargalo ao benefício, tive um 2015 voltado aos estudos, onde optei por investir naquilo que realmente gosto, projetos de software, visando diminuir o ritmo de produção e refletir mais sobre os métodos que vinha usando, desde então, estudei temas do meu interesse, criando aplicações com novas tecnologias e obtendo certificações pelo caminho.

Nos últimos meses de 2015, após resolver encerrar o ciclo de certificações, me inscrevi no processo de seleção do mestrado no PESC, Programa de Engenharia de Sistemas e Computação, oferecido pela COPPE/UFRJ, no final de dezembro após algumas etapas tive a felicidade de ser aprovado no processo e irei compartilhar com vocês um pouco dessa experiência.

O que me fez optar pelo mestrado?

Minha admiração pelos programas de pós-graduação Scricto sensu não é algo recente, desde os tempos de faculdade onde de fato comecei a ter contato com professores e profissionais qualificados, tentei descobrir como este funcionava e o que era preciso para entrar nesses programas.

Depois de alguns anos trabalhando após me formar, fiz uma pós-graduação Lato sensu em gerenciamento de projetos, onde também estudei sobre produções científicas para desenvolver uma monografia de qualidade, nessa parte percebi que o blog me ajudou bastante, pois facilitou expor minhas ideias, afinal, escrever estava fazendo parte da minha rotina.

Quando entreguei minha monografia, no meio de 2014, já sabia que iria fazer o mestrado, mas não só fazer, transpirar e aproveitar o máximo essa experiência.

Diferença entre pós-graduação Lato sensu e Stricto sensu

No Brasil as pós-graduações são divididas em duas categorias, uma mais voltada para o mercado de trabalho que seria o caso da Lato sensu, onde encontramos especializações e MBAs, já nas Stricto sensu o objetivo é formar pesquisadores e professores através do mestrado acadêmico, mestrado profissional e doutorado.

Compreendendo os objetivos de cada tipo de pós-graduação, espera-se que na Lato sensu o foco seja no formato tradicional, visando expandir o conhecimento para determinada área, onde grande parte desse conhecimento será injetado no estudante. Na pós-graduação Stricto sensu, mesmo que exista disciplinas para cursar, professores e orientador, grande parte do conhecimento adquirido será pelo esforço do próprio estudante, contando com os professores para seguir uma direção correta, nesse tipo de pós-graduação, organização é um fator importante, pois não se trata apenas de estudar uma área, mas sim interpretar fatos e ter condições de defender determinado ponto de vista.

Pré-requisitos para inscrição

Para realizar o mestrado no PESC é preciso estar graduado ou obter uma declaração de que irá finalizar as disciplinas restantes até o início do período letivo, dentre os documentos necessários, destaca-se o histórico escolar de qualquer graduação e pós-graduação, onde um coeficiente de rendimento alto provavelmente fará diferença na prova de títulos.

Documentação necessária para seleção na PESC – COPPE/UFRJ

O inglês é o idioma oficial da ciência hoje e as universidades estão padronizando sua forma de avaliar este requisito, na COPPE/UFRJ este requisito pode ser comprovado através de provas como TOEFL e similares, além de certificado de conclusão em nível intermediário de curso. Para quem é autodidata no idioma e deseja comprovar seu conhecimento, especificamente para atender este requisito, o exame da TAPI Brasil aplicado pelo curso Bobidiomas na cidade universitária é uma opção atrativa.

Confira as opções do requisito de proficiência de inglês

Processo de seleção do mestrado

Cada processo de seleção depende da universidade, programa e área de concentração, no caso da área de Engenharia de Software do PESC – COPPE/UFRJ, este processo foi dividido em três etapas, prova específica, prova de títulos e entrevista.

Na prova específica, ainda não existe edital de conteúdo. O ideal é conversar com pessoas que realizaram este processo ou profissionais envolvidos, no meu exame foi abordado, principalmente, modelagem de diagramas UML e conhecimentos gerais de engenharia de software.

A prova de títulos tem como objetivo analisar o histórico escolar, publicações, contribuições acadêmicas, etc. Não conheço as métricas usadas para avaliar o candidato, mas acredito que seja baseado nas informações escolares e currículo Lattes, sendo importante manter este atualizado.

Por último, os professores envolvidos entrevistam os candidatos classificados para saber mais sobre eles, suas histórias e experiências, aproveitei essa etapa para apresentar uma proposta simples de trabalho, voltado para reutilização de software, mesmo não sendo obrigatório.

Próximos passos

Tenho ciência de que conseguir entrar no mestrado é apenas o início da jornada, espero tirar proveito e muito aprendizado, pois dedicação não irá faltar. Este artigo está estreando uma categoria no blog, Engenharia de Software, onde compartilharei o que estiver estudando durante esse período.

Para os interessados, uma ótima fonte de informação é o site posgraduando.com, que possui diversos artigos e um guia bem completo de informações sobre pós-graduação, não deixe de conferir o artigo com dicas para ser aceito no processo seletivo, principalmente seus comentários.

Referência(s)

http://www.cos.ufrj.br/selecao/?page_id=2&lang=pt

http://posgraduando.com/guia-pos-graduacao/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *