Mestrado – Engenharia de Software

Mestrado - Engenharia de Software

Conforme comentei no artigo Mudanças – Do gargalo ao benefício, meu ano de 2015 foi focado nos estudos, investindo em tecnologias emergentes, bem como em gestão e gerenciamento de projetos. Dessa forma, o principal objetivo era reduzir o ritmo de produção e refletir sobre os métodos que estava utilizando para desenvolver projetos de software. Além de estudar tópicos que estavam sendo negligenciados por falta de tempo, aproveitei para criar aplicações e obter certificações pelo caminho.

Neste cenário, nos últimos meses de 2015, após encerrar um ciclo de certificações (e.g., PMP, ITIL, PSM I), decidi me inscrever no processo de seleção de mestrado no PESC, Programa de Engenharia de Sistemas e Computação, oferecido pela COPPE/UFRJ. Após realizar algumas etapas (e.g., prova escrita, entrevista), fui aprovado no processo e irei compartilhar com vocês um pouco dessa experiência.

O que me fez optar pelo mestrado?

Meu desejo de fazer mestrado não é recente, desde os tempos de faculdade já tinha curiosidade sobre pós-graduação Scricto Sensu (e.g., mestrado, doutorado). Porém, em primeiro momento optei por entrar no mercado de trabalho. Depois de alguns anos fiz uma pós-graduação Lato Sensu em gestão e gerenciamento de projetos (MBA), onde tive um pouco mais de contato sobre produções científicas para desenvolver uma monografia de qualidade. Nesse momento, percebi que as publicações do blog me ajudaram na parte da escrita, pois facilitou expor minhas ideias, afinal, escrever estava fazendo parte da minha rotina. Dessa forma, depois de entregar minha monografia, no meio de 2014, já sabia que iria buscar o mestrado.

Diferença entre pós-graduação Lato Sensu e Stricto Sensu

No Brasil existe uma divisão entre pós-graduação Lato Senso e Stricto Sensu. Na pós-graduação Lato Sensu o foco é preparar o aluno para o mercado de trabalho, inserir conhecimento especializado. Por outro lado, na pós-graduação Stricto Sensu o objetivo é formar pesquisadores e professores, onde os alunos são treinados para usar métodos corretos, visando pesquisar e validar os resultados obtidos.

Compreendendo os objetivos de cada tipo de pós-graduação, espera-se que na Lato Sensu o foco seja no formato tradicional, visando expandir o conhecimento para determinada área, onde grande parte desse conhecimento será injetado no estudante. Na Stricto Sensu, mesmo que exista disciplinas para cursar, professores e orientador, grande parte do conhecimento adquirido será pelo esforço do próprio estudante, contando com os professores para seguir uma direção correta, nesse tipo de pós-graduação, organização é um fator importante, pois não se trata apenas de estudar uma área, mas sim interpretar fatos e ter condições de defender determinado ponto de vista.

Pré-requisitos para inscrição

Basicamente, para realizar o mestrado no PESC/COPPE/UFRJ é preciso estar graduado ou obter uma declaração de que irá finalizar as disciplinas restantes antes do início do período letivo do mestrado. Dentre os documentos necessários, destaca-se o histórico escolar da graduação e pós-graduação, caso tenha realizado, onde um bom coeficiente de rendimento provavelmente irá fazer diferença na prova de títulos.

Documentação exigida para participar da seleção do PESC/COPPE/UFRJ

Hoje o inglês é o idioma oficial da ciência, o que torna o conhecimento do idioma essencial para desenvolver uma pesquisa acadêmica focada no estado da arte. No PESC/COPPE/UFRJ esse requisito pode ser comprovado por meio de provas como TOEFL e similares. Além disso, caso você tenha concluído o nível intermediário em alguma escola de idiomas, você pode entregar um certificado de conclusão. Para quem é autodidata, será necessário realizar alguma prova para comprovar seu conhecimento, dentre as opções disponíveis encontra-se o exame TAPI Brasil aplicado pelo curso Bobidiomas na cidade universitária (UFRJ).

Processo de seleção do mestrado

O processo de seleção do mestrado na COPPE/UFRJ costuma variar de acordo com o programa de pesquisa e área de concentração. No caso da área de concentração de Engenharia de Software do PESC, este processo é dividido em três etapas: I. Prova Específica; II. Prova de Títulos; e III. Entrevista.

Na prova específica, não existia edital de conteúdo, parece que isso mudou. Porém, na época o ideal era conversar com pessoas que realizaram o exame ou profissionais envolvidos para ter alguma ideia do que esperar. Quando realizei essa prova específica, os principais temas abordados foram modelagem de diagramas (UML), conhecimentos gerais de Engenharia de Software e interpretação de texto (i.e., artigo em inglês, com questões de interpretação do conteúdo).

Na prova de títulos, não existe intervenção do aluno, nessa parte, o objetivo é analisar o histórico escolar, publicações, contribuições acadêmicas, etc. Parece que o processo está se tornando mais transparente, porém, quando eu participei não tinha as regras de pontuação disponíveis para consulta.

Por último, os professores envolvidos entrevistam os candidatos classificados para saber mais sobre eles, suas histórias e experiências, aproveitei essa etapa para apresentar uma proposta de trabalho, voltado para reutilização de software, mesmo não sendo obrigatório.

Por fim, os professores envolvidos entrevistam os candidatos classificados para saber mais sobre suas histórias e experiências. Nessa parte, embora não fosse obrigatório, entreguei uma proposta de trabalho focada em reutilização de software. Essa proposta estava bastante simplificada, porém, acredito que ajudou no direcionamento para escolha do orientador.

Próximos passos

Ciente de que entrar no mestrado é apenas o passo inicial, espero aproveitar essa experiência. Para os interessados, uma ótima fonte de informação é o site posgraduando.com, que possui diversos artigos e um guia bem completo de informações sobre pós-graduação, não deixe de conferir o artigo com dicas para ser aceito no processo seletivo, principalmente seus comentários.

Referência(s)

http://www.cos.ufrj.br/selecao/?page_id=2&lang=pt

http://posgraduando.com/guia-pos-graduacao/

  • Doutorado – Engenharia de Software | Diogo Matheus

    19/04/2019 às 14:12

    […] No dia 21/03/2019 defendi minha dissertação de mestrado no PESC/COPPE/UFRJ, finalizando uma jornada que iniciou em março de 2016 (artigo). Com o diploma garantido, o que fazer em seguida? […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.. Campos obrigatórios são marcados com *