Impacto da liderança sobre profissionais em formação

Impacto da liderança sobre profissionais em formação

Todo ambiente corporativo é composto por uma variedade de profissionais, sendo quase regra existir profissionais em formação nessa composição, principalmente pelo baixo custo que este representa, mas nem sempre estes profissionais são envolvidos visando evolução profissional, sendo obrigatório ser independente. Em determinados cenários estes profissionais são cobrados da mesma forma que os colaboradores experientes, o que gera problemas como desmotivação e frustração, podendo chegar ao ponto do profissional em formação achar que não tem vocação.

Profissionais em formação

Os profissionais em formação não necessariamente são recém graduados, afinal toda mudança exige adaptação e para se adaptar é preciso estudar novos métodos e o ambiente inserido. Todo período de adaptação está sujeito à experiências que podem influenciar o futuro do profissional, positivas e negativas, que tem origem nos profissionais de liderança, mas sem tirar o fardo de comprometimento do próprio colaborador, que é responsável pelo seu objetivo de carreira.

O poder da liderança

Líderes são como pais para os profissionais em formação, responsáveis direto pelos seus resultados e desenvolvimento, para este perfil de colaborador deve existir um plano de exigência diferenciado, se possível adaptado para que tenha supervisão de um profissional experiente, na metodologia XP temos o exemplo do Pair Programming, que pode ser usado para unir um profissional em formação e outro experiente no desenvolvimento de tarefas.

O importante neste ponto é oferecer suporte de alguma forma ao colaborador, envolvendo e treinando para o desenvolvimento de um tipo de tarefa. No PMBOK encontramos o processo “Desenvolver a equipe do projeto”, que aborda estes tópicos, tendo objetivo de aprimorar as competências, interações dos membros, etc.

Uma boa liderança é sobre experiências humanas. Não é uma fórmula ou programa, é uma atividade humana que vem do coração e leva em consideração os corações de outras pessoas. É uma atitude, não uma rotina.
Lance Secretan

O exemplo e direcionamento aos profissionais em formação é essencial, normalmente ferramentas de avaliação são usadas nas empresas, mas o importante é focar na qualidade do feedback fornecido ao colaborador, além do auxílio ao planejar mudanças para progredir na carreira de acordo com objetivo de cada indivíduo.

Teoricamente é algo bonito de dizer, mas na prática o tempo é um grande limitador de boas intenções, sendo uma boa estratégia dividir este trabalho de colaboração e coaching de acordo com o organograma da equipe. Todo líder deve ter consciência de seu papel e os impactos que pode causar na carreira dos profissionais, assim como estes devem aprender logo cedo que as vezes seus objetivos são conflitantes com os da liderança, sendo ideal buscar conselhos externos.

Papel do mentor

O mentor é como um tio legal no cenário corporativo, que irá guiar e orientar o profissional em formação sobre os melhores caminhos, através de ensinamentos e dicas, muitas vezes o colaborador precisa ser ouvido e um mentor atende bem essa necessidade, uma opinião externa pode ajudar nas decisões simples, que no ponto de vista do colaborador se tornou complicada por algum motivo.

A arte de liderar é o ato de dizer não, e não dizer sim. É muito fácil dizer sim.
Tony Blair

Normalmente as pessoas buscam um mentor apenas quando estão passando por alguma dificuldade profissional, mas o ideal é ter um mentor para todas as horas, isso não quer dizer que é preciso gastar dinheiro, seu mentor pode ser um profissional próximo, amigo ou parente que é uma referência. Neste caso o importante é o mentor ter mais experiência e noção das portas existentes.

Conclusão

Os líderes são profissionais que além de se preocupar com os resultados de cada projeto estão diretamente ligados ao desenvolvimento dos colaboradores presente na equipe, principalmente aqueles em formação, um bom líder é uma ótima fonte de inspiração, no qual todos colaboradores desejam ser, não pelo salário, mas sim pelo comportamento referencial. O mentor está preocupado apenas com o desenvolvimento do profissional em formação, sem preocupação com resultados imediatos ao projeto, dessa forma não existe dilema de bloquear uma oportunidade com medo de perder o profissional, por isso muitos recomendam que não se adote como mentor um líder direto.

É importante ressaltar que cada profissional é responsável pela própria carreira, sendo importante estar preparado para situações difíceis, tendo inteligência emocional para se adaptar ou procurar mudanças positivas visando um ambiente agradável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.. Campos obrigatórios são marcados com *