Mudanças – Do gargalo ao benefício

Mudanças - Construção na cidade

Nada mais justo do que o último artigo do ano ser sobre mudanças, afinal quem nunca planejou uma grande mudança na virada do ano? O fato é: o que você fez sobre este planejamento? O quanto você se empenhou e até mesmo sacrificou para colocar em prática seus projetos? Seja visando estudo, mudar de área no trabalho e até mesmo estilo de vida.

Mudança é tudo aquilo que transforma, para melhor ou pior, que muda nosso comportamento sobre determinado cenário com base em alguma causa ou em busca de algum ideal.

Qual é o objetivo da mudança?

Não existe uma receita, cada mudança terá um objetivo e o importante é que este seja identificado, planejado e acompanhado até chegar ao resultado esperado ou não ser mais necessário, mudar por insatisfação sem planejar pode gerar resultados negativos, mude sempre visando o benefício.

O importante é isso: estar pronto para, a qualquer momento, sacrificar o que somos pelo que poderíamos vir a ser.
Charles Du Bois

O planejamento de final de ano é importante, o que você espera para o ano seguinte? Quais são os principais feitos que você deseja realizar em curto, médio e longo prazo? Pegue uma folha de papel e faça uma pequena lista de prioridades, tendo sua lista, seja realista sobre os sacrifícios que pode realizar em sua rotina e selecione os itens mais adequados.

O gargalo da execução

Na execução e implantação ocorre o principal ponto de gargalo em mudanças de impacto, principalmente as que afetam o dia a dia das pessoas, como uma obra na cidade, uma nova metodologia no ambiente de trabalho, etc. Como podemos definir e disponibilizar uma visão do benefício e motivo da mudança? Quem acredita no antigo método de general, no qual manda quem pode e obedece quem tem juízo, pode encontrar muitos problemas neste momento.

Em uma grande obra o dia a dia dos moradores é afetado, mas qual é o objetivo da obra? Qual será o legado para os moradores? Como este legado será utilizado para melhorar suas vidas? Caso essas perguntas não sejam respondidas e divulgadas de forma adequada, qualquer inconformidade ou interpretação incorreta pode gerar problemas, uma grande tempestade. Uma questão específica está presente em todas mudanças, qual é a prioridade da mudança?

Cada mudança terá suas próprias questões e dúvidas, caso os envolvidos não encontrem respostas concretas, o gargalo da execução poderá se agravar e a insatisfação será instaurada de maneira geral no ambiente. Em alguns momentos nosso planejamento de final de ano envolve outras pessoas e ignoramos esse aspecto, além de não definir o benefício de cada mudança, seus impactos e uma direção para realizá-los.

Como mitigar o gargalo da mudança?

Para definir e iniciar uma mudança temos que levar em consideração sua prioridade, isso só é possível quando existe uma missão, um propósito maior, como ser um engenheiro de software, ter mais tempo para os filhos, virar gerente de projetos, etc. Existem diversos tipos de cenários considerados como propósito maior e essa definição influencia diretamente no caminho que será traçado, pois irá expor pequenas mudanças necessárias. No gerenciamento de projetos essa etapa normalmente é tratada ao realizar o controle integrado de mudanças através de um processo bem definido onde é analisado o benefício da mudança, seu impacto e prioridade, decidindo se está mudança está de acordo com o propósito maior do projeto.

Toda mudança pode ser encarada como um desafio, que trás uma sensação de imprevisibilidade aos envolvidos, essa sensação gera na maioria dos casos resistência à mudança. Para contornar esse problema precisamos de uma boa gestão de pessoas, para aumentar o entendimento dos envolvidos sobre o propósito da mudança, quanto maior esse entendimento menor será a resistência.

Dessa forma a comunicação tem papel essencial para que nossas mudanças sejam bem gerenciadas, hoje temos diversos meios para acessar e disponibilizar as informações, cabe aos responsáveis pela mudança usá-los para compartilhar informações úteis e de credibilidade, para que os impactados pela mudança tenham suas respostas e uma direção para seguir em frente, confrontando qualquer gargalo visando o benefício futuro.

O progresso é impossível sem mudança; e aqueles que não conseguem mudar as suas mentes não conseguem mudar nada.
George Bernard Shaw

Toda mudança gera desconforto e dependendo de sua natureza até mesmo o sentimento de sacrifício. Em casos de mudanças coletivas, temos obrigação de administrar o envolvimento dos interessados, demonstrar os benefícios e impactos da mudança.

Conclusão

Mudanças sempre ocorrerão em nossas vidas, seja causada por nós ou terceiros, particularmente viso investir continuamente por resultados de médio prazo, o que reduz o sentimento de estagnação. Cada pessoa e organização terá seus próprios objetivos e missão, mas a maneira que tratamos essas mudanças e influenciamos os demais para demonstrar cada benefício é que faz toda diferença.

Para muitos 2015 foi bastante problemático, mas o que você fez para conquistar seus objetivos? Independente se irá colher os frutos hoje ou amanhã, o grande ponto é transformar essas promessas de final de ano em metas, de forma que seja possível planejar e realizar ao longo do ano de forma realista.

Esse ano consegui dedicar mais tempo aos estudos, além de experimentar novas tecnologias, algo que planejei no início deste ano e felizmente está dando certo, espero trazer mais novidades para compartilhar com vocês sempre que possível, desejo um 2016 de mais ação visando mudanças positivas, que todos nós tenhamos coragem de influenciar aquilo que está ao nosso alcance para chegar aos objetivos no final do próximo ano.

Não há nada como regressar a um lugar que está igual para descobrir o quanto a gente mudou.
Nelson Mandela

Um artigo sobre gestão da mudança com maior base teórica fica como promessa para o ano de 2016, abordando as melhores práticas de gerenciamento, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.. Campos obrigatórios são marcados com *