Inovação como rotina

Inovação como rotina dos autores Paddy Miller e Thomas Wedell foca na inovação visando gerar resultado diário, tendo como objetivo apresentar as principais características para implantar um ambiente propício para inovação, leia-se pensamento inovador, deixando bem claro que o gerente de projetos não exige inovação de seus colaboradores, mas sim estimula esse comportamento através de mudanças no ambiente de trabalho, direcionando a inovação para obter resultados.

Inovação como rotina
Inovação como rotina

Os autores fazem questão de apresentar suas definições para inovação e arquiteto de inovação, para facilitar o entendimento do que será apresentado.

Inovação – Criar resultados fazendo coisas novas.

Arquiteto de inovação – Aquele que faz as outras pessoas inovarem ao modificar o ambiente no qual elas trabalham.

Sumário

  1. Inovação como rotina
  2. Foco
  3. Conectar
  4. Ajuste
  5. Selecionar
  6. Stealthstorm
  7. Persistir
  8. Epílogo

Capítulo – Foco

No segundo capítulo, sobre foco, os autores apresentam como fazer as pessoas se concentrarem nas ideias que interessam, além de ressaltar que foco é mais importante do que liberdade onde se faz necessário inovar em ambiente de trabalho diário, indicando que os líderes devem limitar e direcionar a busca pela inovação, com objetivo de retirar seus colaboradores da inércia e gerar resultados alinhados estrategicamente.

Para ajudar as pessoas visando focar no que interessa, os autores apresentam três métodos.

  1. Esclarecer o objetivo: o que estamos tentando alcançar?
  2. Definir a área de segurança: quais são os limites da busca?
  3. Mudar o espaço de busca: que áreas novas as pessoas deveriam examinar?

Para encerrar o capítulo, os autores afirmam que a inovação funciona como um holofote, sendo responsabilidade do líder direcionar o feixe de luz na direção certa para que as pessoas possam olhar para as áreas certas e da mesma forma que os holofotes, esse conceito funciona melhor quando é concentrado em um objetivo.

Capítulo – Ajuste

No quarto capítulo, sobre ajuste, os autores apresentam como ajudar as pessoas a aperfeiçoarem suas ideias, afirmando que as primeiras ideias são imperfeitas. Segundo Paddy Miller e Thomas Wedell, os líderes precisam fazer com que as pessoas testem, contestem e reformulem suas ideias. O objetivo nesse ponto é eliminar as fantasias sobre ideias milagrosas, que exitem, mas são raras, apresentando um caminho mais realista percorrido pelas ideias até chegar ao sucesso.

As ideias bem-sucedidas não são descobertas, são elaboradas.
Paddy Miller e Thomas Wedell

Um dos pontos mais interessantes do capítulo sobre ajuste é o conceito de reenquadramento do problema, aplicado na maioria das vezes por empresas de consultoria com objetivo de diagnosticar os problemas de seus clientes, que consiste em se aprofundar, fazer perguntas e recolher fatos.

Para reenquadrar problemas os autores apresentam cinco métodos simples.

  1. Primeiro, explicar o que significa reenquadramento
  2. Faça com que as pessoas definam seu problema por escrito
  3. Cinco porquês, analisar a causa principal do problema
  4. Tarefas a serem realizadas, montar uma lista de tarefas
  5. Envolver outras pessoas, obter opiniões com perspectivas diferentes
No livro encontra-se uma lista de perguntas para reenquadrar problemas.

Conclusão

Paddy Miller e Thomas Wedell conseguiram no livro Inovação como rotina seu objetivo, apresentar conceitos e ações para proporcionar o pensamento inovador em qualquer ambiente, seguindo sua definição de inovação. Muita gente considera inovação fruto da liberdade, o que pode ser verdade, mas no cenário corporativo os resultados precisam ser alcançados em curto prazo na maioria das vezes, sendo necessário direcionar a inovação, selecionando as melhores ideias, conectando as pessoas e ajudando os colaboradores na busca pela inovação através da persistência, utilizando motivação intrínseca e extrínseca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.. Campos obrigatórios são marcados com *