O ponto da virada – The tipping point

O ponto da virada do autor Malcolm Gladwell apresenta uma visão sobre os detalhes, pequenas coisas, podem fazer diferença, usando sua abordagem rica em teorias e estudos, que vão desde epidemias de moda até ao combate contra criminalidade no estados unidos, sem dúvidas mais uma obra que vale a pena conferir.

O ponto da virada
O ponto da virada

Sumário resumido

  1. As três regras que regem as epidemias
  2. A regra dos eleitos: Comunicadores, Experts e Vendedores
  3. O fator de fixação: Vila Sésamo, As pistas de Blue e o vírus educacional
  4. O poder do contexto: Parte 1
  5. O poder do contexto: Parte 2
  6. Estudo de caso: boatos, tênis e o poder da tradução
  7. Estudo de caso: suicídio, tabagismo e a busca do cigarro sem poder de fixação
  8. Conclusão: concentre-se, teste e acredite

Capítulo – A regra dos eleitos

Nesse capítulo conhecemos os três principais participantes de uma epidemia, comunicadores, experts e vendedores. Cada um desses possui papel essencial para gerar e disseminar uma epidemia.

Comunicadores conhecem muitas pessoas, todos nós conhecemos alguém assim só não passamos tempo suficiente prestando atenção. Os comunicadores não são importantes apenas por conhecer pessoas, mas também pelo tipo de pessoas que eles conhecem, costumam ter facilidade em interagir com todos os mundos, subculturas e nichos.

Experts são aqueles que acumulam conhecimento, acompanham o mercado e gostam de compartilhar suas opiniões, conectam pessoas ao mercado. Os experts normalmente são pessoas que ao ler um artigo sobre determinado nicho de mercado, gosta de contribuir, até mesmo enviando mensagens para correção em determinado trecho.

Vendedores são pessoas capazes de nos convencer quando não acreditamos no que estamos ouvindo. Os vendedores são altamente persuasivos, conseguem gerar um grau de confiança rapidamente durante uma conversa, possuem a capacidade de hipnotizar, transmitir uma mensagem de maneira que seja recebida como verdade absoluta, por mais que essa mensagem seja realmente verdadeira, não é uma tarefa simples.

Capítulo – O poder do contexto

Capítulo onde conhecemos uma teoria sobre como determinado contexto/ambiente pode colaborar para o desenvolvimento/aumento da criminalidade, trata-se da “teoria das janelas quebradas” dos criminologistas James Q. Wilson e George Kelling. Os dois argumentaram que o crime é resultado inevitável da desordem. Se uma janela está quebrada e não é consertada, quem passa por ali conclui que ninguém se importa com aquilo e que não há ninguém no controle. Em breve outras janelas aparecerão quebradas, e a sensação de anarquia se espalhará do prédio para rua, enviando a mensagem de que ali vale tudo. Segundo Wilson e Kelling, em uma cidade, problemas relativamente insignificantes, como pichação, desordem em locais públicos  e mendicância agressiva, são equivalente das janelas quebradas, convites para crimes mais graves.

Conclusão

Excelente, fiquei bastante satisfeito de realizar essa leitura durante as viagens voltando do trabalho, Malcolm Gladwell soube descrever de maneira muito interessante os detalhes envolvidos em uma epidemia, seja de moda ou até mesmo de doenças sexualmente transmissíveis. O que mais me agradou no livro foi poder refletir os assuntos apresentados, pensando como tais assuntos estão relacionados com desenvolvimento de software, até mesmo a teoria das janelas quebradas faz sentido quando aplicada nesse contexto, se um bloco de código mal desenvolvido, não for rapidamente refatorado, pode refletir no comportamento dos outros membros da equipe, diminuindo a qualidade do software, esse risco normalmente está presente quando a revisão de código é realizada pela pessoa responsável pelo desenvolvimento que está sendo revisado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.. Campos obrigatórios são marcados com *