Princípios do Web Design Maravilhoso

Em busca de conhecer mais sobre desenvolvimento de sistemas web, procuro me manter informado sobre desenvolvimento front-end, html, css, javascript e design de interfaces, com esse objetivo comprei o livro Princípios do Web Design Maravilhoso, do autor Jason Beaird, que apesar do título de gosto duvidoso é um ótimo livro, voltado para quem está começando e tem vontade de criar layouts próprios para seus sistemas ou simplesmente quer entender mais sobre o impacto de determinadas combinações, tipos de fontes e cores. Este livro aborda desde a escolha do estilo de layout até a seleção de cores baseado em teorias, que também são apresentadas, além de detalhes como por exemplo como funciona o hexadecimal de uma cor RGB.

Além de apresentar os conceitos, Jason Beaird teve o cuidado de adicionar estudos de caso, facilitando a associação dos conceitos de cada capítulo, sempre com bons exemplos.
Princípios do Web Design Maravilhoso
Princípios do Web Design Maravilhoso

Sumário resumido

  1. Prefácio
  2. Layout e Composição
  3. Cor
  4. Textura
  5. Tipografia
  6. Imagem
  7. Índice

Capítulo – Layout e Composição

No primeiro capítulo começamos a conhecer o que envolve a criação de um layout, como idealizar sua estrutura, seja ela de duas colunas ou três colunas, depois disso é explicado como funciona a teoria do grid e regra dos terços. Após apresentar as estruturas básicas o autor começa a falar sobre os elementos de um design, além de posicionamento, continuidade, isolamento, contraste e etc, finalizando com tendências como rodapé expansivo, minimalismo e layout responsivo.

Capítulo – Cor

Conhecendo as estruturas e tendências de layout começamos a ver cores, ou seja, após rabiscar e definir sua estrutura é hora de escolher as cores, sendo assim o autor apresenta a psicologia da cor, suas associações emocionais e temperatura, finalizando com as teorias das cores e dicas de ferramentas para criar combinações e paletas.

Capítulo – Textura

Neste capítulo é apresentado os benefícios da textura, seus efeitos e formas básicas como o ponto, linha, pontas arredondadas e rotação, passando para volume e profundidade, perspectiva, proporção, luz e sombra, onde em cada um desses itens o autor passa informações detalhadas sobre as técnicas para reproduzi-los.

Capítulo – Tipografia

Confesso que este capítulo foi o que me fez comprar o livro, pelo fato de conhecer muito pouco sobre o tema. O autor passou pelos conceitos básicos de maneira detalhada, falando sobre as técnicas e dificuldades encontradas no ambiente web para trabalhar com fonte, desde substituição de fontes por imagens até webfonts com @font-face, como hospedar sua fonte e onde encontrar. Este é um dos capítulos que serão consultados sempre que necessário, afinal para quem conhece pouco, tem bastante informação nova, desde anatomia dos tipos de letras até distinções entre tipos de letra.

Capítulo – Imagem

O livro finaliza falando sobre imagens, como selecionar, qual propósito de determinada imagem, o que ela agrega ao design e etc. Neste capítulo encontramos dicas de bancos de imagem, seja gratuito ou pago, quando utilizar cada, direitos autorais de imagens e o que não devemos fazer quando se trata de imagens, por exemplo resgatar imagens de uma busca pelo Google principalmente quando se trata de pessoas, este capítulo é pouco conhecido pela maioria dos desenvolvedores, sendo assim, altamente recomendado.

Conclusão
Se você gosta de montar seus próprios layouts, quer melhorar ou mesmo começar a produzir designs mais atraentes, este é um livro para você, além de entender temas que vão mudar a maneira que você vê panfletos, sites e qualquer outra mídia que envolva design, terá um ótimo guia para consulta, afinal não é do dia para noite que você vai gravar qual cor representa determinada emoção.

Após terminar a leitura, posso dizer que é um ótimo complemento para quem desenvolve sistemas web, design não é detalhe nem enfeite, se você realmente se importa com o que está desenvolvendo, você precisa estar por dentro de todas as áreas, assim como um desenvolvedor estuda materiais sobre modelagem de banco de dados, também deve estudar design de interfaces.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.. Campos obrigatórios são marcados com *